Image Map

Resenha - Loney


Livro: Loney
Autor: Andrew Michael Hurley
Editora: Intrínseca (2016)
Páginas: 301
ISBN: 978-85-8057-937-6
Pontuação: ★★★



Comprei esse livro em pré-venda em 2016, na época fiquei super curiosa para lê-lo, mas depois que o livro foi lançado e muitas pessoas leram e jorraram criticas negativas, acabei desanimando e ele ficou esquecido na minha estante.  Em 2018 fiz uma lista de metas para cumprir em 2019, e uma das metas era ler Loney. Como meu inicio de ano está muito bom em questão de leitura, aproveitei essa energia de estar lendo rápido vários livros e peguei de uma vez Loney, meio que morrendo de medo de que o livro me causasse uma ressaca kkkk. Felizmente isso não aconteceu.


As páginas são amareladas, a fonte é mediana, essa edição está muito bonita em capa dura e jacket. Têm vinte e nove capítulos.

(páginas)

(capítulo)


O Loney é um lugar misterioso, meio isolado e confuso. Tonto é o nosso protagonista, ele é de uma família e comunidade extremamente religiosas, do tipo rigorosos e obsessivos. Seu irmão mais novo, Hanny (Andrew) é mudo e sua família acredita que Deus está testando a fé deles com o fato de Hanny ser mudo e que se eles rezarem e fizerem muitas celebrações, Deus irá trazer a voz de Hanny.
Com isso eles fazem um retiro para Loney, uma espécie de lugar bem escondida e pequeno onde o mar é violento e extremamente perigoso com alto numero de morte de afogamento. Mas têm uma casa lá onde a comunidade passa um tempo, e durante esse tempo eles visitam igrejas e espaços “sagrados” na esperança de que Deus faça um milagre com Hanny. Mas talvez não seja Deus quem vai trazer um suposto milagre... Talvez nem seja um milagre, talvez possa ser outra coisa. A final, as pessoas e as coisas no Loney são muito estranhas.


Quando comprei esse livro estava super mega ansiosa para ler, mas acabou que as criticas gerais eram super negativas e fiquei com medo de ler o livro e entrar de ressaca. Acabou que o livro ficou esquecido na minha estante por anos até finalmente tomar vergonha na cara para ler. O livro foi algo interessante, mas... Estranho e sem sentido. Interessante, porém sem sentido. Tentei começar o livro de boa, tirando todos os pensamentos negativos e o medo do livro ser chato e me deixar de ressaca. Li o livro inteiro de boa e em nenhum momento fiquei de saco cheio, porém a parada toda não estava lá grande coisas... Como eu disse o livro foi algo interessante, mas confuso.

O livro traz por inteiro a religião, a força da crença da família de Tonto e Hanny e como tudo o que acontece é um milagre, é todo o poder de Deus, ou a punição de Deus por qualquer coisa ruim, estranha ou inconveniente que se faça.



Eu nãos sei muito bem o que falar dos personagens, todos eles foram tão vagos, tão misteriosos, sem muito o que entregar... Tonto é um personagem muito seco, ele é daqueles que observa, daqueles neutros, recebe ordens e as cumpres sem nenhum pio. Ele é bem quieto, é bem estranho e tranquilo demais.

Hanny é bem mais agitado que o irmão, ta sempre cheio de energia e querendo ir de um lado para o outro. É um personagem que não entendi muito bem, principalmente no final depois do que aconteceu, eu só fiquei olhando para a parede e... tipo: Mas hem? Kkkkkkk


A Mãe de Tonto e Hanny é uma mulher muito extrema. Principalmente quando o assunto é religião, ela é super severa e organizada/certinha quando se trata da religião, das orações, missas e costumes, tudo precisa ser exato e o mesmo de sempre, nada pode mudar. E quando o padre Wilfred morre e o padre Bernard o substituía, ela fica muito em cima do padre Bernard sempre dizendo: “o padre Wilfred não fazia desse jeito” “o padre Wilfred fazia assim para depois fazemos as orações” “o padre Wilfred primeiro sempre nos fazia orar antes de tal coisa” “com o padre Wilfred as coisas eram assim e assado”, etc. Era bem chato e perdi as conta de quantas vezes quis enforcar ela kkkkkk.



As coisas nesse livro foram uma variação de suspense e um pouquinho de terror kkk. Houve momentos que foram meio macabros que deixou meu coração a mil só esperando uma criatura sair das sombras, outros momentos eu ficava intrigada apenas com o mistério de: “quem pôs aquilo ali?” “qual o propósito daquilo ali?” “porque fizeram isso?” etc.

Esperava bem mais, muito mais, desse livro. Mas okay, não foi algo ruim, nem exatamente decepcionante... Foi algo meio termo. Não achei ruim, mas não adorei esse livro.




Personagens Fortes


Uma coisa que amo muito em livros é uma personagem forte e independente, não importa o gênero do livro (apesar de sempre preferir fantasia) sempre é muito bom acompanhar uma personagem forte e que sabe se virar, onde as coisas saem do clichê de que o mocinho é como o príncipe encantado que vem ao socorro salvar a donzela, ou quando se tem um grande problema e a personagem prefere resolver sozinha e da tudo de si por isso.
Sendo assim separei algumas personagens que amo muito e que tem muita força e independência. Os livros citados que tiverem resenha deixarei os links.


Uma personagem que amo bastante junto com a trilogia. A jornada dessa personagem é incrível e a força que ela demonstra durante toda a trilogia é encantador. Ela não é perfeita, mas batalha e não tem medo de se por na linha de fogo, ela sempre quer agir. É uma protagonista que não depende dos homens e isso se mostra um fato no segundo livro quando se vê presa a um machista. Ela faz sua escolha e não muda de opinião quando percebe que certas pessoas tentam persuadi-la e prende-la em uma bolha.


Aelin – Trono De Vidro
Não tenho palavras para descrever a força e a capacidade dessa personagem tão magnífica! Sempre me pergunto e fico admirada do quanto a autora foi incrível e tem uma mente extraordinária ao criar essa personagem e toda a história de Trono De Vidro. Tudo é tão rico e maravilhoso, mas claro não 100% perfeito, mas nada é perfeito não é mesmo?
Aelin é uma personagem cheia de energia boa e ruim. Os momentos em que acaba ficando mal por algum acontecimento terrível, e os momentos bons em que ela se deixa levar e consegue esquecer os problemas e se permite sorrir e relaxar e sentir aquilo que precisa ser sentido naquele momento. É uma personagem um pouco enigmática, mas de um jeito bom.


Apesar de ter amado o livro, não o favoritei, pois me senti bem enjoada enquanto lia certas coisas. O livro traz muito o Bullying e até mesmo um pouco de abuso da parte dos Royals no início do livro. Teve um momento em especial que me deixou paralisada e falei mais sobre isso na resenha.
Ella passou por um inferno horrível nesse livro e a forma como ela encarou e continuou em frente de cabeça erguida com tudo foi extraordinário! Uma personagem tão forte assim que me deixou com inveja. Sofri bullying na escola e não lidei muito bem com isso, busquei uma espécie errada de refúgio para aliviar a dor, e lendo a história de Ella e vendo-a lidar com as coisas de forma corajosa e forte, lutando e enfrentando, senti muita inveja da força dessa personagem.


Ismae e Sybella – Perdão Mortal e Divina Vingança
Ismae foi uma personagem bem misteriosa para mim no início do livro, foi difícil entendê-la, certas atitudes e decisões, mas logo comecei a ver a coragem e a ousadia dela em forma de coragem e valentia. Ismae foi muito mal tratada e por conta disso é uma personagem muito relutante com os homens e demora a se abrir, a relaxar e vê uma amizade ou uma paixão a sua frente. Mas conforme o livro segue, Ismae se mostra mais inteligente e valente do que nunca, e no final temos uma personagem mais crescida e madura daquela que encontramos no inicio do livro.

Já Sybella tem uma força movida pelo ódio de tudo em seu passado. Essa é uma trilogia e só li até o segundo livro (o da Sybella) e por tanto até o momento a história de Sybella foi a mais triste e emocionante que li até agora. Sybella teve o passado mais horrendo e sujo, o que fizeram com ela acabou tornando-a uma pessoa sem sentimentos, ou pelo menos com metade dos sentimentos. Nesse segundo livro acompanhamos Sybella começando a se permitir o perdão, o amor pelo outro e o amor por si própria. Ela tem uma força escondida e no fim as coisas são reveladas e é... É lindo. Esse livro foi lindo e feio ao mesmo tempo.


A Escola Do Bem E Do Mal é uma que ainda não me convenceu, ainda não me conquistou 100% e sigo sentindo que é uma série muito infanto-juvenil. Mas tem uma personagem que me faz querer continuar seguindo com essa série, até porque a série também não é tão ruim assim. Agatha. A personagem mais forte e madura até então na série (só li até o segundo livro) e é a que mais me agradou.
Agatha tem o pé no chão e não vive imaginando contos de fadas ou se importando com príncipe, mesmo sabendo que ama um, ainda assim não é aquela personagem que tem o mundo girando pela pessoa que ama. Uma coisa que me incomodou no inicio do livro (o primeiro livro) foi o fato de ela ter dado tamanha importância para a aparência. Ela não se importava, porém sempre acreditou fielmente de que era feia e simplesmente aceitou isso, até que as coisas mudam e ela começa a entender sua verdadeira beleza, isso só fez a personagem amadurecer mais ainda.


Então é isso pessoal, essas são algumas das personagens que acho mais fortes e que também amo muito. Com certeza tem muito mais personagens fortes que eu amo, mas a lista seria muito extensa então selecionei apenas algumas.

Image Map
©MY SECRET BOOKS 2015 ♥TODOS OS DIREITOS RESERVADOS ♥ DESIGN E ILUSTRAÇÃO POR TALITA THOMAZ♥TECNOLOGIA DO BLOGGER.