Image Map

Resenha - Alma?


Livro: Alma? #1
Autora: Gail Carriger
Editora: Valentina
Páginas: 305
ISBN: 978-85-65859-04-2
Pontuação: ★★★



Tenho os três primeiros livros dessa série em minha estante desde a Bienal do Rio de 2015. Sempre fiquei muito curiosa para ler essa série, mas não sei por que fiquei adiando a leitura por muito tempo.


As páginas são amareladas, a fonte é pequena e têm catorze capítulos e um epílogo.

(capítulo)

(páginas)


Alexia Tarabotti é uma jovem de vinte e sei anos que não possui alma (e, além disso, é uma solteirona). Ou pelo menos é o que acha. Em um mundo onde lobisomens e vampiros (ah e não vamos nos esquecer dos fantasmas também) vivem em paz em uma democracia com os humanos, Alexia possui um tipo de poder que faz com que essas criaturas, ao tocar nela, percam sua natureza sobrenatural.  Os sobrenaturais a chamam de sem alma, pois automaticamente tocando nela eles voltam a ser humanos pelo tempo que permanecem sobre seu toque.
Em uma Londres vitoriana governada pela Rainha Vitória, Alexia vive sua vida ciente de quem é e do que é capaz. Cresceu com sua mãe, seu padrasto e suas meias irmãs dizendo que tinha uma aparência mediana, por carregar o nome e o físico de um Italiano, sua família sempre achou que ela seria uma solteirona pra sempre, assim como a própria Alexia. Mas parece que isso não é bem verdade. Com um mistério surgindo onde vampiros e lobisomens têm desaparecido, Alexia, e sua fiel sombrinha, com a ajuda de Lorde Maccon (um lobisomem Alfa temperamental e lindo de morrer) irão descobrir as barbaridades por trás desses desaparecimentos.


Sabe, esse ano eu estava planejando ler livros de época... Sabe, romances de época. Para quem me conhece sabe que não sou chegada a livros que são inteiramente de romance, sempre procuro livro que tenha a mistura do romance com a ação (e que tenha mais ação que romance). Apesar de gostar muito de filme e séries de época, nunca me interessei por ler livros de época, mas desde o ano passado tenho tido essa vontade cada vez mais crescente de ler romances de época, esse ano pretendia começar alguns que comprei ano passado. Eu não fazia ideia de que Alma? fosse um livro de época. Basicamente ele foi meu primeiro livro de época. E sinceramente não me agradou muito, não foi ruim nem chato, mas não me agradou muito esse estilo de história... Refiro-me a questão do tempo.
Alexia Tarabotti é uma personagem bem refinada e bem decidida, além de forte e dona do próprio nariz. Uma coisa que me desagradou muito nesse livro com relação, principalmente, a essa personagem foi a questão da época mesmo. Por ser um livro de época ele acaba trazendo costume daquela época, certo? Bom, tenho ciência disso, mas Alexia é uma personagem extremamente forte e super inteligente, e foi bem decepcionante vê-la ficar se cobrando muito com relação à etiqueta e compostura ela acaba perdendo pontos. Toda hora ela ficava lembrando que uma senhorita de sua classe na pode falar ou pensar tal coisa, ou que ela não poderia fazer tal coisa, pois isso seria um escândalo ou uma atitude inaceitável de uma dama... Ela acabava deixando de fazer coisas que deveriam ser feitas ou mesmo ditas por causa dessas etiquetas banais e ridículas. Ela se retraia quando não deveria. Existem momentos nesse livro em que ela fala e age, mas esses momentos não são nada comparados aqueles momentos em que é vital que ela abra a boca e fale. Uma personagem tão forte e determinada como Alexia, ficava toda hora se preocupando com etiqueta, compostura, o que os outros iriam pensar em ver uma dama agir de tal modo, etc... Foi decepcionante. E se os livros de época forem realmente assim é bem provável que eu realmente não vá gostar de nenhum.


Também foi triste vê como Alexia é tratada na família. Não é nada severo ou estilo Cinderela, mas é triste vê a pouca fé e credibilidade, ou mesmo amor, que a família tem por ela. A questão de julgar sua aparência, por ter vinte e seis e ainda estar solteira, por sair com uma amiga (sua única amiga) de baixa classe, etc. Para mim essa família me pareceu um bando de interesseiros fúteis e mimados.



Lorde Maccon foi um personagem bem interessante, fofo da sua maneira esquisita e durona (orgulhoso). Um personagem que parecia ser machista, mas se mostrou o contrario. Apesar de não ter me encantado ou me apaixonado por ele... Bom, ele é de certa forma cativante.



Os personagens secundários não são muito apresentados nessa história com exceção do Professor Lyall (um lobisomem Beta) que infelizmente não tenho muito o que dizer dele, pois pouco se mostra dele, mas ele parece ser daqueles personagens que mais observa do que fala. 



A história que a autora criou é realmente interessante, a questão dos lobisomens e vampiros (e fantasmas que não apareceram nesse primeiro livro) viverem junto com os humanos em uma sociedade normal foi algo novo, normalmente os livros sobre esses seres sempre envolve um mundo diferente, uma briga, ou algo do tipo. Tem também o mistério por trás dos desaparecimentos e toda a ação do final do livro que foi muito legal. O que me incomodou mesmo foi a questão das regras da sociedade feminina nessa época, eu acho que deixa os personagens muito presos. Mas naquele tempo era assim e não se pode fazer nada...

Resenha - Vidas Muito Boas


Livro: Vidas Muito Boas
Autora: J. K. Rowling
Editora: Rocco
Páginas: 71
ISBN: 978-85-325-3087-5
Pontuação: ★★★★



Essa vai ser a resenha mais curta de todas as resenhas que já fiz kkk. Eu comprei esse livro na pré-venda e estava louca para lê-lo, e logo que ele chegou eu parei minha leitura daquele momento só para lê-lo.


As páginas são amareladas (algumas coloridas) com aquela famosa textura grossinha que amo haha. O livro é cheio de ilustrações e frases do próprio discurso da J. K. Rowling. O livro é um capa dura branca e tem uma Jacket.





O famoso discurso de paraninfa da J. K. Rowling na Universidade de Harvard foi um dos discursos mais lindos e verdadeiros que já li, daqueles que é para refletir e que ficará guardado para sempre em nossas mentes cada palavra. Ela escolheu falar dois temas: As vantagens do fracasso e a Importância da imaginação. Nesse pequeno livrinho, Rowling nos conta, um pouco, sobre sua jornada até o sucesso... Como ela decidiu seu futuro, como ela arriscou e chegou onde está, e como foi importante tropeçar e passar por tudo que ela passou para aprender e valorizar tanto e para crescer mais. Ela nos conta sobre os medos, os fracassos e o que viu e presenciou em sua vida trabalhadora antes da escrita. Enfatiza também a questão da imaginação e de como ela pode nos levar para longe, como é importante e essencial nossa capacidade de imaginar e depois criar.




Amei terem publicado esse discurso em livro, e amei ainda mais a edição! Toda caprichada e cheia de ilustrações muito fofas. É um livro que da para ler em menos de meia hora, e quando começa não para mais. J. K. Rowling te prende com as palavras inspiradoras e sua história, simplesmente não dá para parar de ler. 



Image Map
©MY SECRET BOOKS 2015 ♥TODOS OS DIREITOS RESERVADOS ♥ DESIGN E ILUSTRAÇÃO POR TALITA THOMAZ♥TECNOLOGIA DO BLOGGER.